quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Somos guardados

Segurança é uma necessidade básica, que nos fazem produtivos e ativos na vida. 


Quando a falta de segurança é sentida, falta a coragem de enfrentar as lutas da vida.
Hoje em dia a indústria da segurança tem desenvolvido de maneira grandiosa, pois a população se sente insegura.
A economia descobriu a necessidade de segurança e investiu em tecnologia, segurança virou nicho de mercado. 
Mas precisamos de segurança que vai além da física, precisamos da segurança espiritual. 
Pois a segurança espiritual é prioritária, pois dela, advém todas as outras.

Jesus na sua oração sacerdotal, nos ensina que somos guardados no nome do Pai. 
Os discípulos estavam apavorados com o cenário que o Mestre descrevia. 
Dizia Jesus que estava prestes a ir para o Pai. 
Mas seus seguidores poderiam ficar tranqüilos, pois eles continuariam protegidos e guardados, desfrutando da sua presença e companhia, mesmo sem a presença física. 
"E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós" (Jo 17.11). 

O nome do Pai é sinônimo de segurança, conforto e proteção. 
Ter Deus como pai, é ter certeza de proteção e de estar seguro, mesmo vivendo as instabilidades da vida. 

Jesus continua nos ensinando, que somos guardados em segurança, pois "nenhum deles se perdeu" (Jo 17:12). 
Devemos ter a certeza que estamos protegidos e que os anjos, os mensageiros de Deus está próximo a nós, juntamente com o Espírito Santo nos dando direção e sentido a vida, porque com Jesus não nos perdemos, mas há segurança no mestre para a nossa existência humana.

A alegria é fruto de quem vive seguro, mesmo em meio às maiores instabilidade que a vida poderá trazer. 

Jesus nos diz: "para que tenham a minha alegria completa em si mesma (Jo 17:13).

A alegria espiritual é a base para uma vida de fé, contentamento e segurança.
Quem crê no Cristo e no Evangelho das Escrituras, tem essa característica, ser seguro e alegre, independente das circunstâncias. 
Paulo, o apóstolo, estava preso, quando escreveu a carta aos irmãos de Filipos, mas a maior exortação, incentivo daquele homem de Deus, era, alegrai-vos no Senhor, outra vez digo, alegrai-vos.

Essa segurança que precisamos é dada, não somente na dimensão da eternidade futura, mas também no dias de vida no tabernáculo humano, no nosso corpo, que é o local onde cultuamos ao Senhor.

O Galileu ensina que somos guardados no mundo e não fora dele. Isto é somos protegidos pelo Senhor no enfrentamento das circunstâncias mais difíceis e aparentemente insuportáveis. "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal" (Jo 17:15) .

A maldade não tem domínio sobre o cristão, sobre aquele que se entregou a Cristo, recebendo através da confissão o sacrifício do calvário, como também o sacrificado. 

A maldade é extirpada, é necessariamente um elemento estranho, e que incomoda, não sendo mais aceita passiva e prazerosamente. 

Portanto o pecado para o cristão é um incômodo, é elemento estranho, é tumor, é metástase, não é aceito pelo homem interior, dói e incomoda. 

Somos livres do prazer que a prática da maldade pode trazer. 

Tanto das maldades grosseiras, quando daquelas quase que imperceptíveis, que passam invisível ao olho natural. 
Somos alvos da voz sutil do Santo Espírito, dizendo largue esses pensamentos não façam isso, perdoe ... 
O cristão é liberto diariamente da segurança que os bens e patrimônio poderão proporcionar. 
Em Cristo há segurança, e somos todos os dias guardados.

Jesus e o Espírito Santo exercem a função de sacerdote e de consolador entre O Pai e os homens. 

Somos guardados, podemos contar com Cristo nas situações mais inusitadas da vida.

Deus vos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário